janeiro 28, 2006

Desilusão

Pergunto-me muitas vezes porque é que as pessoas que mais gostamos nos estão sempre a desiludir.

Concluo que é assim: quando precisam de nós, cá estamos para o que der e vier...; quando não precisam e têm mais alguém para "brincar", aí deixamos de ser importantes e passamos literalmente para segundo, terceiro, ou mesmo quarto plano...

Fazendo uma alegoria, somos aquela camisola velha que está sempre no armário e que só usamos quando todas as outras estão sujas ou seja, somos uma alternativa quando todas as outras se esgotaram...

É triste depararmo-nos com esta pura realidade relativamente a quem amamos...

Mas o pior..., o pior é que acreditamos sempre que da próxima vez vai ser diferente!

4 comentários:

Margarida disse...

subscrevo na íntegra. egoístas, é o que é! (há que dar o nome correcto)

é algo que me questiono sempre. mas chego sempre à mesma conclusão. somos nós que criamos demasiadas expectativas em relação aos outros. é que o mal só pode estar em nós! ;)

magoa muito ouvir aquilo que, ao fim e ao cabo, não passam de balelas, pq depois, no momento do gesto, a mão fica dentro da algibeira. pq é mais cómodo não esticar o braço. pq o bolso até está quentinho. é-lhes mais fácil olhar para o umbigo do que em redor. ou seja, são como os burros. devem usar palas, ou lá como se chama. um dia quando despertarem poderá ser tarde demais...

amae disse...

Pois, amigas! Acho todas já sentimos essa "falta", e é doloroso, principalmente quando as pessoas nos são familiares, já se passou várias vezes comigo, mas doeu-me mesmo muito, quando a desconsideração veio, nada mais, nada menos que da minha irmã! Então aprendi a dar o desconto às pessoas que por laços familiares vamos continuar para sempre ligadas – então é fazer bem e não esperar nada – fazer já me deixa satisfeita! e se vier algum reconhecimento melhor, fico mais feliz! Sabem que tenho sempre a esperança que vida nos devolve tudo de bom que lhe dermos, e muitas vezes, não é daquelas pessoas que mais esperávamos!

Borboleta disse...

Eu acreditei tanta vez que ia ser diferente...que a certa altura fartei-me e cortei com esse tipo de pessoas. Quando pensaram que eu lá estava...já eu tinha ido à muito.
É claro que com os familiares a coisa é diferente e tenho de ir levando a coisa mas destes até nem me posso queixar.

:) bjs

Lita disse...

As pessoas de quem mais gosto não me desiludem, cometem erros! e eu vou ter com elas e peço uma explicação. As outras pessoas que me desiludem, não são na realidade minhas amigas, porque senão não o fariam! e a essas eu não ligo tanto e não me custa tanto. Já aprendi!!! e tu Eli, se calhar tens de aprender ainda! Um grande beijinho e força aí.